Agro Olhar

Terça-feira, 17 de outubro de 2017

Notícias / Pecuária

Pecuaristas se unem e debatem insegurança no mercado após delação do proprietário da JBS

Da Redação- Patrícia Neves

24 Mai 2017 - 07:54

Pecuaristas se unem e debatem insegurança no mercado após delação do proprietário da JBS
Problemas enfrentados pelos produtores na comercialização dos animais junto à empresa JBS, detentora da maior parte das plantas frigoríficas do Estado, e a insegurança do mercado diante da crise gerada pela empresa no Brasil, será o tema de uma reunião  entre pecuaristas e o vice-governador de Mato Grosso, Carlos Fávaro. A agenda foi marcada para às 17h de hoje, 24.  O encontro será realizado após a delação premiada de Joesley Batista na semana passada, que abalou as estruturas da República evidenciando um complexo esquema de pagamento de propinas no país.

Leia Mais:
OAB de Mato Grosso quer impugnar colaboração premiada de donos da JBS

Hoje, Mato Grosso possui o maior rebanho bovino do país e é o estado onde a JBS tem a maior atuação. Recentemente, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), instaurada pela Assembleia Legislativa, para investigar a possível formação de cartel na indústria da carne em Mato Grosso apontou que o Grupo JBS recebeu, entre os anos de 2003 e 2014, mais de R$ 102 milhões a título de incentivos fiscais, por meio da Agência Especial de Financiamento Industrial (FINAME), subsidiada pelo BNDES, e pelo Regulamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS).

De acordo com o relatório final da CPI, aprovado por unanimidade no dia 05 de abril, entre os anos de 2003 e 2014 foram realizadas 1.847 operações de crédito, por meio do BNDES FINAME, em nome do grupo JBS. As operações remontam um valor que ultrapassa R$ 900 milhões destinados às empresas do grupo em todo o Brasil. Deste montante, R$ 29.399.241,54 foram disponibilizados para as indústrias com sede em Mato Grosso.
Sitevip Internet