Agro Olhar

Terça-feira, 17 de outubro de 2017

Notícias / Indústria

Sindicato Rural leva donos de restaurantes para dentro de frigorífico e mostra qualidade da carne; veja fotos

Da Redação - Viviane Petroli

22 Mar 2017 - 16:58

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Sindicato Rural leva donos de restaurantes para dentro de frigorífico e mostra qualidade da carne; veja fotos
"Mais segurança". A colocação é de representantes de bares e restaurantes de Cuiabá e Mato Grosso, após visitarem um frigorífico com Selo de Inspeção Federal (SIF). A ação foi promovida pelo Sindicato Rural de Cuiabá visando quebrar tabus criados diante a operação "Carne Fraca", deflagrada pela Polícia Federal no dia 17 de março, e que tem gerado prejuízos para o setor produtivo com a suspensão de abates em algumas plantas frigoríficas.
 
Na avaliação do sócio-proprietário do restaurante e churrascaria Boi Grill, Fernando Nonato, o modo como o assunto foi anunciado "foi uma coisa espantosa". Ele comenta que por possuir restaurante e churrascaria sempre frequente frigoríficos. "O consumidor precisa ter a segurança quando vai ao nosso estabelecimento de que a gente está preocupado".

Leia mais:
Cuiabano não deixou de comer carne diante operação da PF, afirmam churrascarias
 
Para o diretor do Sindicato Intermunicipal dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do estado de Mato Grosso (SHRBS-MT), Francisco Chaves, com a visita ao frigorífico "agora se tem muito mais segurança ainda". "A gente já tinha confiança no SIF, não apenas de frigoríficos de Mato Grosso, mas de modo geral. Agora, depois dessa visita in loco nós vamos passar para o nosso associado a segurança que nós presenciamos aqui de como é todo o processo, a forma como é feita a desossa, desde a chegada do animal até o embarque da carne congelada ou resfriada para o consumo".
 
Os representantes de bares e restaurantes de Cuiabá conferiram o processo de produção industrial da carne na manhã desta quarta-feira, 22 de março, no Frigosul - Frigorífico Sul, localizado em Várzea Grande. Eles foram a convite do Sindicato Rural de Cuiabá.
 
No local são abatidas em torno de 400 cabeças de gado por dia, segundo o gerente administrativo do Frigosul, Jorge Brandão. O frigorífico possui o Selo de Inspeção Federal (SIF) desde 2012 e conta com 12 fiscais credenciados ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).
 
De acordo com o presidente do Sindicato Rural de Cuiabá, Jorge Pires, o trabalho do pecuarista e a qualidade do produto que hoje Mato Grosso possui já é conhecido. "Nós precisávamos trazer in loco os bares, restaurantes e churrascarias para ver as indústrias de perto".
 
O presidente do Sindicato Rural de Cuiabá pontua que a operação da Polícia Federal tem trazido reflexos negativos para a economia brasileira. Durante a visita ao frigorífico, que foi acompanhada pela imprensa, Jorge Pires ressaltou, diante a rigorosidade do Ministério da Agricultura e do mercado externo, que a "indústria frigorífica brasileira tem muito mais higiene que muitos hospitais e prontos socorros que nós temos espalhados pelo Brasil".

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Antonio Barreto
    23 Mar 2017 às 08:29

    Os consumidores podem ficar tranquilos, essa operação carne fraca, foi passada para a população sem o devido conhecimento técnico pela Policia Federal.

  • Mariazinha
    23 Mar 2017 às 07:47

    Com o GOLPE de Estado ,está instalada a ANARQUIA . Ninguém comanda ninguém.Janot troca ofensas com o Gilmar Mendes ,em rede nacional. A PF ,que ninguem manda e o MPF que também não , trocam briguinhas de EGOS ,prá ver quem manda mais. Tai o resultado A- venda da Petrobrás. B- fim das aposentadorias. B- fim de carteira assinada. D- quebra do setor da construção civil. . E- quebra do setor de carnes ,em favor das Multinacionais. Tai MIDIÓTAS o Lulinha não é o DONO da FRiboi. A Petrobrás já não é nossa . OAdeus as aposentadorias. Fim das carteiras assinadas. Voltamos a antes de Getulio Vargas. SATISFEITOS MIDIÓTAS ???!!!

  • BM
    22 Mar 2017 às 20:13

    Deram uma ligadinha antes pros frigoríficos ????????

Sitevip Internet