Agro Olhar

Sábado, 24 de junho de 2017

Notícias / Meio Ambiente

Desemprego leva moradores do noroeste de MT a praticarem desmatamento ilegal , diz ex-prefeito

Da Redação - Lázaro Thor Borges

24 Fev 2017 - 15:51

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Prefeito de Juruena, Bernardo Crozetta.

Prefeito de Juruena, Bernardo Crozetta.

O ex-prefeito de Juruena (a 929 Km da Capital), Bernardo Crozetta, já tem um culpado para os altos níveis de desamatamento ilegal na região noroeste de Mato Grosso: o desemprego. Para o ex- prefeito, que esteve em Cuiabá nesta quinta-feira (23) para cobrar do governo Estadual a pavimentação da BR-174, o mercado de trabalho na região é insuficiente, o que obriga os moradores a caírem na informalidade.

Leia mais:
Estado tenta pavimentação emergencial de rodovia em terra indígena antes de finalizar estudo de impacto


Crozetta preside uma comissão composta por mais cinco prefeitos de municípios daquela região do Estado. A principal preocupação dos representantes é a BR-174.  Para Crozetta, a economia do noroeste está 100% ligada a rodovia. Sem logística, os negócios não funcionam e os trabalhadores desempregados acabam caindo na ilegalidade. Por conta disso, segundo o ex-prefeito, o desmatamento ilegal surge como uma opção.

“A nossa região hoje tem mais de 150 mil habitantes e as empresas já não geram emprego suficiente. Então, a solução para muita gente é a grilagem de terra, o desmatamento ilegal, e tudo isso acontece por falta de emprego”, explica o prefeito de Juruena.

Além de Juruena, a região no noroeste por onde passa a BR-174 engloba os municípios de Cotriguaçu, Castanheira, Colniza, Aripuanã e Juína. A rodovia apresenta condições ínfimas de trafegabilidade: sem pavimentação, pontes caídas e atoleiros que se multiplicam no período chuvoso.

O principal entrave para a pavimentação são as seis áreas indígenas que margeiam a rodovia. O trabalho não pode ser iniciado até que seja feito um estudo de impacto para a região. A análise, no entanto, pode demorar até dois anos para ser concluída. Para driblar a burocracia, o governo do Estado pretende firmar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público Federal (MPF) visando dar início as obras mesmo sem a conclusão dos estudos. A estratégia é apoiada pelos prefeitos e representantes do noroeste.

11 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • edson
    26 Fev 2017 às 10:41

    a coisa funciona assim deixe qualquer cidadao eu digo qualquer cidadao sem grana e perto de uma castanheira ou mogno e chega alguem e lhe ofereceum mil reais pela arvore cortada.......nao precisa nem falar,pra sobreviver qualquer um derruba

  • Maria
    25 Fev 2017 às 16:53

    A REALIDADE É ESSA PREFEITO DE JURUENA JÁ TEM UMA DETERMINAÇÃO DO MINISTÉRIO PUBLICO DO ESTADO DE MATO-GROSSO QUE JÁ REQUEREU DESDE SETEMBRO/2016 AO INDEA O CUMPRIMENTO IMEDIATO DA LEI COMPLEMENTAR 235/2005 QUE EXIGE O CERTIFICADO DE IDENTIFICAÇÃO DE MADEIRAS PARA O TRANSPORTE INTERESTADUAL, E ATÉ A PRESENTE DATA 25/02/2017 NÃO FOI CUMPRIDO, A PORTA DO ESTADO ESTÁ ABERTA (SEM FISCALIZAÇÃO) PARA O TRANSPORTE DE MADEIRAS ILEGAIS COMO A CASTANHEIRA(PROIBIDA DE CORTE) E TANTAS OUTRAS E COM ISSO O DESMATAMENTO ESTÁ AI DEVASTANDO A NOSSA FLORESTA, E O ESTADO ESTÁ PERDENDO 27 MILHÕES E AINDA MAIS A CADA DIA QUE A ATIVIDADE NÃO É RETOMADA SÃO CENTENAS DE CARGAS DE MADEIRA ILEGAL QUE VÃO PARA OUTROS ESTADOS E COM ISSO JÁ CAUSOU E VEM CAUSANDO DANOS IRREPARÁVEIS AO MEIO AMBIENTE.

  • Mauro
    25 Fev 2017 às 08:52

    Eita Bernardo, Sempre pregando umas peças nos desavisados rsrsrs Segundo o site da Prefeitura, e do TRE, e segundo o que todo mundo sabe, a prefeita de Juruena é Sandra Josy Lopes de Souza, esposa do Bernardo.

  • Jorge
    25 Fev 2017 às 08:40

    Bernado nao é prefeito, ele é marido da prefeita Sandra Josy Crozeta!

  • Diego.
    25 Fev 2017 às 08:33

    Atenção: O Bernardo não é prefeito de Juruena. Ele é ex-prefeito, a atual prefeita é a esposa dele Sra. Sandra Crozetta.

  • TSETUNG
    25 Fev 2017 às 08:09

    Sempre tem uma desculpa para burlar a lei, eta Brasil, sem leis!

  • Joel
    24 Fev 2017 às 19:47

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Ralf
    24 Fev 2017 às 19:36

    Perai. Se o cidadão está desempregado ele terá dinheiro pra comprar motosserra, combustível, empreitar pessoas pra fazer desmatamento? Contra outra.

  • Maria
    24 Fev 2017 às 17:28

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Nelson
    24 Fev 2017 às 17:06

    Estou desempregado! Vou grilar e desmatar as terras do prefeito!!!

Sitevip Internet