Agro Olhar

Domingo, 23 de julho de 2017

Notícias / Jurídico

Especialistas não creem em melhora da economia; requerimentos de recuperação judicial sobem 202% em MT

Da Redação - Viviane Petroli

04 Dez 2015 - 11:25

Foto: Reprodução/Internet/Ilustração

Especialistas não creem em melhora da economia; requerimentos de recuperação judicial sobem 202% em MT
O volume de pedidos de recuperação judicial requeridos em Mato Grosso cresceu 202,2%. As solicitações de janeiro a novembro saltaram de 45 o ano passado para 136 em 2015. Já os pedidos deferidos de 46 para 132, um aumento de 186,9%. Segundo especialistas, a tendência é seguir em alta as demandas em 2016, uma vez que a economia brasileira é dar sinais de melhoras somente a partir de 2018.

Os números de solicitações de recuperações judiciais requeridas e deferidas foram divulgados nesta semana pelo Serasa Experian. Conforme o levantamento, em termos de requerimento de falência o salto foi de duas para seis no período em questão. Quanto às falências decretadas houve queda de 24 entre janeiro e novembro de 2014 para nove em 2015.

O Serasa Experian revela, ainda, que o número de recuperações judiciais concedidas subiu de 10 para 28.

Leia mais:
Pedidos de recuperação judicial saltam 202% em Mato Grosso; deferimentos sobem 221%

A análise mensal do Serasa Experian mostra que em novembro Mato Grosso registrou 20 recuperações judiciais requeridas contra 13 de outubro e nenhuma de 2014. No caso de deferimentos 16 em novembro, 13 em outubro e nenhuma em 2014. As falências requeridas somaram apenas duas em novembro, enquanto em outubro apenas uma. Em 2014 não havia se registrado requerimento de falência. Quanto aos decretos de falência redução de quatro em 2014 para apenas um em 2015.

“A recuperação é para que as empresas tentem se reerguer em até dois anos. É a melhor saída para se tentar manter na ativa, pois ou fecha a empresa ou pede recuperação”, comenta o economista Edisantos Amorim.

Em entrevista ao Agro Olhar, Edisantos Amorim frisa que a atual situação do Brasil é de uma “crise profunda”. “Uma crise igual a que vivemos hoje leva-se cerca de quatro anos para se recuperar. Os próximos três anos serão difíceis. Mais pedidos de recuperação devem surgir, principalmente em 2016”.

De acordo com o Serasa Experian, de janeiro a novembro no Brasil 1.137 pedidos de recuperação judiciais foram requeridos, volume superior aos 775 verificados no período em 2014 e os 817 em 2013.

Deste 1.137 pedidos de recuperação judicial requeridos 589 referem-se as micro e pequenas empresas. Em 2014 haviam sido 427 requerimentos. Já as grandes empresas registraram um aumento de 123 para 221 pedidos de recuperação judicial requeridas.

“O maior impacto é nas micro e pequenas empresas. Porém, o crescimento nas grandes empresas preocupa, pois mostra que nada está bem”, salienta o economista.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet